12 de outubro de 2005

Lugares Perdidos


Lugares que, em silêncio,
Trazem a saudade e a tristeza
Das vidas que quiseram atravessar,
Das histórias passageiras,
Cravando com destreza
Nos farrapos de vida
Gotas de memórias inteiras,
Feixes de luz perdida.

Lugares que, estando calados,
Relembram sentimentos,
Descrevem apenas momentos...
Lugares que à vontade dos relatos
Choram, riem, sentem,
Guardam, esquecem e mentem.

Lugares que prendem
Lágrimas, poder e ambições,
O despedaçar de corações,
Sorrisos, alegria e cor,
Onde sabem esconder a dor.

Lugares que, ao olhar,
Parecem simples e vazios
Mas que, ao verdadeiro ver,
Se mostram cheios de emoções
Porém deixam de parecer
Apenas lugares abandonados
Que um dia viram sofrer,
Viram corações feridos...
Lugares que acabam por ser
Simplesmente lugares perdidos.

4 comentários:

miss madness disse...

oiii ! ta mt bóni o teu poema! sim snhora, a minina tem jeitinho pá coisa ;p continhua assim!
dsclpa la o comnt td podre, ms pa proxima é mlhor lool =P

bjitux****

Tranki disse...

Mais um belo extrato de poesia recitado da paixao dos lugares outrora queridos, agora perdidos. Akilo k eh um olhar silencioso k só nos percebemos e entendemos, a alienacao do mundo por esses breves segundos de saudade nao podia ser melhor expresso, ou escrito por palavras. Todos temos esses sentimentos, mas o privilegio de assim os descrever é só para poucos.

jinhos! Keep on the good work

Mesquita disse...

já te tinha dito, mas volto a dizer... GOSTEI... e pronto já disse...

Anónimo disse...

Best regards from NY! »