7 de agosto de 2007

As palavras são como os frutos nas árvores.

Por enquanto vou mordiscando as minhas palavras como quem trinca um fruto verde num acto de rebeldia. Ainda não tenho a paciência necessária para esperar que a fruta no pomar da minha imaginação fique doce e toda a gente a possa saborear.

Sou impaciente, mas é esse sabor agridoce do impulso que me faz ter forças para sorrir despreocupada. É o sentir o sumo fresco nos meus lábios que mata a sede de viver. Sei que um dia vou deixar de gostar da fruta rija e ainda verde, sei que vou passar a fazer o que for preciso para colher os frutos apenas quando estiverem maduros. Mas não me aflige porque quando isto acontecer vou lembrar-me do travo agreste da fruta verde e só isso vai permitir que volte a procurar a força que me faz agora puxar os frutos da árvore antes do tempo, só isso vai permitir-me seguir caminho sem perder quem sou.

9 comentários:

Tigui disse...

Concordo contigo. Quando somos novos, tanto os amores como as palavras, queremo-los acres, ainda verdes. Talvez mais tarde comecemos à procura da fruta madura.

SoNosCredita disse...

gostei mto deste texto, devo dizer.
:)

ñ vale a pena termos pressa...
é essa 'sabedoria' que o tempo nos dá. e ainda bem que assim é!

Brunito disse...

Gosto!

SuperGuilho disse...

as frutas verdes sao akelas k nos saciam a sede pela vida, mas tudo amadurece, tudo morre, a vida tb. p enkuanto vamos vivendo c os verdes...

João Filipe Ferreira disse...

adorei ler-te:)
beijinhooooooo

Gavi disse...

há diferentes tempos e diferentes maneiras d saborear a fruta! é aí q reside a beleza! td parte do ciclo!

MiLady disse...

tb gosto da fruta verde..

Bruno disse...

O mais valioso de todos os talentos é aquele de nunca usar duas palavras quando uma basta.

By: Thomas Jefferson with my approval (pk tudo o k ele soube fui eu k lhe ensinei,lol; dream on..:P:P)

Kisses

silvia disse...

o fruto vai amadurecendo... enquanto isso trinca o verde com tudo o q tiveres! =D beijoca* continua sem perder qem �s*