12 de dezembro de 2006

Não.

As letras rectas, desenhadas sem o mais pequeno cuidado, brutas, riscadas com raiva, os traços desalinhados, despreocupados, cruéis.
Não seguem um padrão, diferem no tamanho, na forma, na rigidez. Mesmo as letras de contornos mais suaves não exibem a doçura que lhes seria característica, em vez disso há traços nervosos a ferir o papel. Traços que mostram muros construídos atrás das palavras, protecções com espinhos, paredes de medo erguidas com destreza atrás destes riscos soltos por um lápis de carvão enraivecido.
As palavras gritam o que querem dizer e gritam também tudo o que querem esconder, as letras interceptam-se acutilantemente, foram escritas com a crueldade na ponta dos dedos e nos olhos de quem as desenhou. É como se as palavras sucumbissem ao mal...escorrem fel.
E o carvão começa a desaparecer...mas as marcas de um coração aberto continuam lá...
Lê-se “Não quero. Não!” e há duas letras que medeiam a primeira frase, escritas timidamente em jeito de segredo envergonhado mas igualmente cruel: “te”.

12 comentários:

Beks disse...

Coisa mais linda :')!!!


E doi de facto... palavras lidas ou escritas têm este poder, de nos ferir, deixar feridas abertas!...

E se pudessemos omitir esses "tes" a nossa vida seria bem mais fácil...

MiLady disse...

o problema é quando os "tes" não se podem omitir..quando têm mesmo de ser ditos..ainda que não se queira.

Gavi disse...

pois mas mesmo nós naum os conseguimos esconder, saltam sempre para a folha naum é verdade? é assim... =|

elmary disse...

A vida é composta de tudo isto, temos que aprender a transpor esses "muros", essas "protecções de espinhos"... e a transformar as coisas más em coisas boas... é só o nosso coração querer.

elmary disse...

Muito bom como sempre, adoro-te.

peuguinha ou cacau ... lol disse...

palavras não são simples palavras quando escritas por alguém que as sentes ... se assim for passam a ser o espelho de kem as escreve ... Ali está, a revolta de kem não consegue esconder um "te" que atormenta e corrói! há "tes" que nos dominam e obrigam a mantê-los presentes quer por odio ou amor... a verdade é que dificilmente se tornam indiferentes! mas não há muros que não se saltem ou espinhos que não se cortem....

adorei!!!! * * *

Klatuu o embuçado disse...

Muito bem escrito, com imagens fora do comum.

albinonatural disse...

Muito bom uma delícia bjs

Hizys disse...

poderosas as palavras e como escreves, agora venho sempre aqui ver mais!! =) doem as palavras e o que são, porque são, são-nos...

Anónimo disse...

Life isn't always fair... e às vezes há palavras que não teriam de ser ditas se outros ouvissem o nosso coração aberto, sem nos obrigarem a criar paredes de medo e palavras cruéis e duras para nossa protecção... Às vezes não há outra forma de dizer as coisas a não ser de forma dura, acutilante, directa... e eficaz :(

Um texto muito, muito poderoso!

Cynath disse...

Como sempre deixas-me com água na boca à espera de mais... Malditos sejam os tes, os mes, e os nos, que nos deixam sempre desconcentrados em relação ao resto da vida...
E benditos sejam pelo mesmo motivo!

Suntory Time disse...

É como disse, achei este texto mesmo powerful. Tu de facto tens muito jeito com as palavras, e aqui neste post escolheste-as mesmo bem...

Muito, muito bom. *