28 de março de 2008

Sol e Lua

Agora que o sol nasce pede à lua para esquecer o que viu. Conta-lhe que um coração que abraça os sorrisos efémeros sofre mais no fim, explica-lhe que os dedos entrelaçados não duram para sempre e que há muitas razões para esquecer.
Chama a lua e diz-lhe tudo o que nunca conseguiste falar comigo. Despeja as mágoas, as incertezas...mostra-lhe as tuas dores, as fraquezas. Espera um sorriso e um banho de calma, sonhos de fúria que no final te serenam a alma.
Pede ao sol uns minutos de descanso, empurra o dia para longe de ti e limpa as feridas que tens por dentro com o sal que chorares.
Não deixes que o peso dos dias se abata sobre ti...conserva a calmaria do anoitecer e a lucidez do amanhecer. Porque enquanto a lua te puder perdoar o sol nunca te julgará.

16 comentários:

Astrogildo disse...

Quem disse que no Hemisfério Sul não há Lua?
Na terra onde o Sol e a Lua se confundem e onde não há frio e a chuva é quente, um olhar é uma insinuação, uma palavra é um convite, um toque é um abraço envolvente...
Na terra onde a Lua aquece tanto como o Sol e onde as emoções afloram a todas as superfícies, o proibido é permitido, o desejado torna-se realidade, as sensações mais subtis têm uma força avassaladora...
Na terra onde a Lua e o Sol jogam à apanhada sem nunca se cansarem, um desconhecido é um amigo, um amigo cativa-nos, um adeus transforma-se num até já...
Ouvi dizer que no Hemisfério Norte a Lua é a mesma!

rtportinha disse...

É preciso que o coração "desfaça a fronteira entre a lua e o sol"... :)

Beijinho*

Gavi disse...

"Porque enquanto a lua te puder perdoar o sol nunca te julgará."

escolhes um lado e escolhes a quem ser fiel, há smpre decisões a tomar.

Luís dos Phones disse...

Não sei se já alguém te disse, mas escreves bem que te fartas :)

Já agora, ficas a saber que eu também já tenho um blog hahah

http://luisfrancobastos.blogs.sapo.pt

Depois visita-me lá *

Ricardo disse...

Seus poemas são tão lindos quanto você . . . estou apaixonado . . . bjos!!!
e-mail: gerente_ricardo@cresce.net

orbi disse...

Muito bom!

Natal disse...

UAU! todos os teus textos nos surpreendem. muito bom!
Desculpa vir comentar poucas vezes. CONTINUA! ......... ha, e outro livro, ñ? já era tempo. amt:)

Beks disse...

Ao som de Mariza custa ler os teus textos sem que "a chuva" que molha o meu rosto não seja uma e outra gota de uma chuva que vem de dentro.
Custa sentir que temos escolhas para fazer. "Hoje não quero ser EU",diriamos. E tudo ficaria bem. Mas depois disso, os sorrisos, as lágrimas, os toques não nos pertenceriam.

Conseguiriamos ser alguém que não aqueles que reconhecemos no espelho?
Hoje o espelho pode estar turvo, mas não é de ti, não estás a desaparecer. São os teus olhos que choram de saudades de uma vida que ainda vais ter de escolher...


(e depois da chuva, escrevo sem sentido).

Shakadal disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
said disse...

Excelente, adorei :) a frase preferida:
"Pede ao sol uns minutos de descanso, empurra o dia para longe de ti e limpa as feridas que tens por dentro com o sal que chorares."

:D

Beks disse...

E a inspiração motivada por um sol diferente do que conhecíamos continua a gerar sentimentos que geram textos que geram sorrisos lágrimas e alívios.


Novo post babs*

Beks disse...

Gostava de não ter comprado o teu livro para ter o prazer de o comprar, folhear e ler de sopro, de novo.


Adoro-te*

João Guilhoto disse...

"Porque enquanto a lua te puder perdoar o sol nunca te julgará." gostei mt desta ultima frase...

bjo*

elmary disse...

Como é lindo o que escreves.
Sem os teus textos nem me daría conta de como tudo isto nos faz bem e nos torna mais leves, realmente a Lua é a nossa melhor confidente e o Sol o nosso fornecedor de energias para a vida.
bjs.

MiLady disse...

quer queiramos quer não há sempre alguém a julgar-nos, nem que sejamos nós próprios...

Anónimo disse...

A ultima frase tem magia...
Embala-me a mente.
És linda...
Meu Blog:http://neuzarodrigues33.blog.com